Os nutrientes essenciais ao organismo são classificados em cinco grupos: proteínas, carboidratos, lipídeos, vitaminas e sais minerais. Outros componentes da alimentação que não são digeridos ou totalmente metabolizados são as fibras, pectinas e gomas.

As proteínas, presentes nas carnes, nas leguminosas (feijão, amendoim, ervilha, lentinha e soja), no leite e seus derivados e nas sementes (castanhas, nozes etc.), são os alimentos construtores. São necessárias para a construção e manutenção dos tecidos orgânicos, formação de enzimas, hormônios e vários líquidos e secreções corpóreas e preservação do sistema de defesa.

Os carboidratos e os lipídeos são os alimentos energéticos. Os carboidratos, sob a forma de glicose, frutose, sacarose, maltose, lactose, amido, entre outras, são a maior fonte de energia para o organismo. A glicose é indispensável para manter a integridade funcional do tecido nervoso e, sob circunstâncias normais, é a única fonte de energia para o cérebro. A presença de carboidratos é necessária ao metabolismo normal das gorduras. Estão presentes no arroz, massas, leite, frutas etc.

Os lipídeos (óleos e gorduras) constituem fonte de energia mais concentrada que a dos carboidratos e das proteínas. Além disso, uma vez transformados em tecidos adiposo, são uma forma de armazenamento de energia. Os lipídeos são veículos de vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) e podem ser encontrados no creme de leite, manteiga, toucinho, óleos etc.

As frutas e verduras, são os alimentos reguladores e são as maiores fontes de vitaminas e sais minerais. Possuem nutrientes essenciais a diversas funções do organismo, como por exemplo as suas reações metabólicas.